Troféu Excelência
Dr. Enio Buffolo Veja Curriculum no CNPq.
Dr. José Honório Palma Veja Curriculum no CNPq.
Dr. João Nelson R Branco Veja Curriculum no CNPq.
Dr. Carlos Alberto Teles

Área de atuação

Nossa missão é cuidar do seu coração.

Segunda Opinião:

Para avaliação de pacientes com doenças cardiológicas complexas possuimos equipe médica capaz de ofecerer "Segunda Opinião". Consulte.


Tratamentos cirúrgicos

  • Coronariopatias
  • Valvopatias - Plastias ou substituições valvares
  • Aneurismas da aorta - Cirurgia ou stents
  • Afecções congênitas do coração
  • Arritmias cardíacas: marcapassos; desfibriladores; ressincronizadores
  • Insuficiência cardíaca, Transplante cardíaco
  • Válvulas através de catéteres
  • Terapia Celular, Células Tronco e Protocolos Experimentais
  • Implante e Controle de Marcapasso
  • Implante de válvulas através de catéter
  • Assistência Circulatória














Onde estamos

São Paulo, Capital
CEP 04038-002
tel: (11) 5574-6611, 5574-6786

Rua Borges Lagoa, 1080, cj.701~710

Atendimentos:
de 2ªfeira a 6ªfeira
das 10hs as 20hs
















Troféu
Excelência

Nossa mensagem


A E. Buffolo & Associados congrega cirurgiões cardiovasculares e equipe de suporte que foram selecionados ao longo dos anos por suas afinidades e qualidades.

Quase todos os membros são docentes da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), compromissados com a assistência, ensino e pesquisa. O longo convívio de seus membros numa mesma equipe é sinal de harmonia, respeito mútuo e complementação de habilidades e personalidades.

Ler mais...












Nossa experiência

Os números acima corroboram nossa experiência.


Equipe
Administrativa

Nosso principal objetivo é sempre atendê-lo da melhor maneira possível.














Dúvidas no Pré-Operatório

Por que preciso operar o coração?

Uma cirurgia só é indicada quando as complicações da doença são potencialmente mais graves e não existem medicamentos que tratem esta patologia, ou seja, quando a cirurgia é a melhor opção terapêutica. Existem várias doenças que tem tratamento cirúrgico, como coronariopatias (obstrução das artérias coronárias), valvopatias (doenças das valvas do coração), doenças congênitas, alguns tipos de arritmias, aneurisma de aorta e casos avançados de insuficiência cardíaca.

Preciso fazer exames antes de operar?

Sim, são os chamados exames pré-operatórios. Eles consistem de uma série de testes que avaliam a função do coração e de outros órgãos (rins, pulmão, figado, etc), coagulação sanguínea, e descartam a presença de infecções ativas, sendo que podem ser realizados no consultório ou no momento da internação hospitalar. Os exames pré-operatórios necessários devem ser relacionados após uma consulta médica, pois o objetivo de avaliação é variável e muitas vezes específico.

Preciso parar de usar o AAS (Aspirina) e os anticoagulantes?

Em caso de cirurgia eletiva, o paciente deve suspender o uso do Ácido Acetilsalicílico (também conhecido pelos nomes comerciais de AAS, Aspirina, Bufferin, entre outros) pelo menos 3 dias antes da cirurgia. Os anticoagulantes orais ( Marevan, Caumadin, Warfarin) também devem ser suspensos pelo menos 5 dias antes da cirurgia e realizado a medida do INR/TAP (exame laboratorial que mede o efeito do anticoagulante) antes do procedimento. Outras medicações que também precisam ser suspensas são a Ticlopina (Ticlid) e o Clopidogrel (Plavix) no mínimo 5 dias antes.
Em caso de cirurgia de emergência, pode-se operar após o uso do AAS, e os demais medicamentos necessitam condutas próprias para cada caso. O inconveniente de se operar sob os efeitos destes fármacos é o sangramento aumentado no ato operatório.

Existe risco de complicações e morte?

Infelizmente em todo e qualquer procedimento cirúrgico existe o risco de complicações, algumas discretas e outras graves, e até de morte. Mas uma cirurgia só é indicada quando os benefícios são muito maiores que o risco, ou seja, se o paciente não operar a sua evolução apresenta maior risco de complicações graves e morte. Sendo que todos os cuidados são tomados para diminuir estes riscos ao máximo. Hoje podemos através de tabelas, calcular qual o risco de uma determinada operação para aquele indivíduo.


Dúvidas no Pós-Operatório

Quanto tempo dura a cirurgia?

Isto é muito variável, de poucas horas até 12 horas, depende do tipo de cirurgia e de detalhes técnicos encontrados no momento. Geralmente a duração é de 4 a 6 horas.

Preciso ir para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) no pós-operatório?

Todo o paciente que realiza cirurgia cardíaca vai para a UTI no pós-operatório por 2 ou 3 dias em média, ou permanece 1 dia na UTI e 2 dias na Unidade Semi-intensiva.

Como é a UTI?

Quando o paciente desperta após a cirurgia, ele ainda pode respirar com a ajuda de aparelhos, e assim que a pessoa está mais acordada, a cânula de intubação orotraqueal é retirada. Existem outras coisas que incomodam as pessoas na UTI, como o dreno torácico e a sonda vesical, mas que serão retirados após 48 horas em média, antes do paciente ir para o quarto. A UTI é um ambiente "agitado", com vários profissionais trabalhando simultaneamente (médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem, fisioterapeutas), com monitores conectados ao paciente e vários aparelhos, e esta dinâmica não precisa assustar as pessoas, sendo fundamental para sua recuperação no pós-operatório imediato.

Como é o quarto?

Quando o paciente recebe alta da UTI e vai para o quarto, ele se sente mais confortável, com a presença constante de seus familiares. Inicia se uma nova fase de recuperação na qual a pessoa alimenta se melhor, toma banho no chuveiro e retorna ao ritmo de sono habitual e a caminha normalmente.

Quanto tempo dura a internação?

Em média o paciente permanece internado por 7 dias.

Como é a dor no pós-operatório?

Geralmente a cirurgia cardíaca não apresenta dor intensa, sendo administrados regularmente analgésicos para aliviar e suprimir a dor. Mas é importante salientar que a intensidade da dor possui grande componente individual.

Quando recebo alta hospitalar?

Em torno do sétimo dia pós-operatório o paciente recebe alta hospitalar com a orientação de quais medicamentos usar, retornar ao cardiologista clínico que o acompanha e realiza uma reavaliação futura na equipe cirúrgica, onde serão observadas as incisões, dadas orientações complementares sobre o procedimento cirúrgico realizado, e para receber o relatório da operação. Também recebe orientações sobre exercícios respiratórios, atividades físicas e nutricionais.

Quais são as oritentações para casa?

Nos primeiros dias em casa, o paciente não deve realizar esforços e progressivamente voltar às atividades habituais. Após 30 dias da cirurgia em média a pessoa retorna as suas atividades rotineiras.
Outras orientações são:

  • não dormir "de lado" por 25 dias (dormir apenas de "barriga para cima"). Se o paciente não conseguir, sugerimos colocar um travesseiro na parte lateral das costas, provocando um melhor conforto com melhora da posição.
  • não dirigir por 45 dias.
  • a liberação para atividade sexual deve ser individualizada.
  • para pacientes provenientes de outras cidades e estados, viagens de pequena duração não são problemáticas. Mas viagens longas devem ser evitadas nas primeiras semanas, devendo o paciente permanecer na cidade de São Paulo por maior tempo. Viagens aéreas curtas também são possíveis após a alta hospitalar.
  • observar o surgimento de febre ou secreção na cicatriz operatória, e se isto ocorrer procurar a equipe cirúrgica ou o hospital no qual foi operado.
  • manter o uso de medicação com a qual recebeu alta hospitalar até o retorno com a equipe médica e evitar o uso de outros remédios sem conhecimento médico.

Quanto tempo de afastamento?

O tempo médio de afastamento das atividades laborativas é de 30 dias, mas pode variar com cada paciente e com sua atividade profissional.

E se existir outras dúvidas?

É muito comum que o paciente e sua família tenham dúvidas e preocupações, desde a indicação da cirurgia até a sua total resolução. O contato pessoal entre o médico, paciente e familiares é muito importante para esclarecer estas questões, transferir calma e confiança neste momento de ansiedade.


Urgências

Procedimentos em urgências

Em caso de urgências, contactar o consultorio no horário de atendimento:

De 2ªfeira a 6ªfeira, das 10hs as 20hs.

(11) 5574-6611


Fora destes horários, procurar um pronto-atendimento onde a equipe atua para exames clínicos, solicitando que avisem o médico da equipe responsável pelo caso.

















Nossa Mensagem



A E. Buffolo & Associados congrega cirurgiões cardiovasculares e equipe de suporte que foram selecionados ao longo dos anos por suas afinidades e qualidades.

Quase todos os membros são docentes da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), compromissados com a assistência, ensino e pesquisa. O longo convívio de seus membros numa mesma equipe é sinal de harmonia, respeito mútuo e complementação de habilidades e personalidades.

Realizamos assistência a pacientes de convênios e particulares, sem discriminação no atendimento cirúrgico. Temos como questão de princípio, reconhecer que o cardiologista que nos indica, nos presta uma homenagem e por este motivo merece nosso respeito e consideração.

Fruto de um trabalho ininterrupto ao longo de nossa experiência cirúrgica, realizamos mais de 49.000 intervenções sobre o coração e grandes vasos, tratando diversas afecções cardíacas, incluindo tratamento cirúrgico das coronariopatias (pontes de safena e mamária), afecções das válvulas cardíacas, cardiopatias congênitas, aneurismas da aorta com cirurgia ou tratamento com stents, implante de marcapassos, desfibriladores e transplante cardíaco.

No sentimento mais íntimo temos a sensação de que o exercício da Medicina é uma atividade profissional ainda romântica e uma excelente oportunidade de servir ao próximo.



















Contato

e-mail:

clinica@ebuffoloassociados.com.br


telefone:

(11) 5574-6611

fax:

(11) 5574-6786




©2013 by NETPI